terça-feira, 4 de julho de 2017

Acusados de planejar morte de radialista potiguar, ex-pastor e comerciante vão a júri popular juntos

Gilson Neudo Soares do Amaral, ex-pastor evangélico, e Lailson Lopes, o 'Gordo da Rodoviária', vão a júri popular juntos  (Foto: Rosivan Amaral e Willacy Dantas)
Gilson Neudo Soares do Amaral, ex-pastor evangélico, e Lailson Lopes, o 'Gordo da Rodoviária', vão a júri popular juntos (Foto: Rosivan Amaral e Willacy Dantas)
O ex-pastor evangélico Gilson Neudo Soares do Amaral e o comerciante Lailson Lopes, ambos acusados de planejar a morte do radialista Francisco Gomes de Medeiros, o ‘F. Gomes’, assassinado a tiros em 18 de outubro de 2010 na cidade de Caicó, na região Seridó potiguar, serão julgados juntos. Gilson sentaria no banco dos réus nesta quarta (5), mas o júri popular foi adiado para o próximo dia 19, quando também será julgado o comerciante, mais conhecido como ‘Gordo da Rodoviária’.
A decisão de juntar os réus foi da juíza Eliana Alves Marinho. O júri está marcado para começar às 8h no Tribunal do Júri do Fórum Desembargador Miguel Seabra Fagundes, no bairro de Lagoa Nova, Zona Sul de Natal.
“A fim de resguardar os ditames constitucionais da imparcialidade dos jurados. Assim, encontrando-se ambos os feitos em condições de serem julgados, e, tratando-se do mesmo fato, determino, em atenção aos princípios da celeridade e da economia processual, a unificação dos processos, para que sejam os réus antes nominados submetidos ao Tribunal do júri, conjuntamente”, determinou a magistrada.
Quinto adiamento
Gilson Neudo deveria ter sido julgado no dia 16 de março de 2016, mas o procedimento foi reagendado porque a defesa dele avisou que não poderia comparecer. Em abril, o júri foi novamente adiado porque o réu desconstituiu o advogado de defesa. O fato obrigou o juiz Luiz Cândido Vilaça a decidir pelo adiamento. Depois, em razão do desaforamento (sendo o local do julgamento transferido de Caicó para Natal), o júri que estava agendado para o dia 16 de novembro do ano passado foi remarcado para o dia 5 de julho. Agora, com a decisão de juntar os júris de Gilson Neudo e Lailson Lopes, o julgamento foi remarcado para o dia 19. 

Fonte: G1 RN
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário