domingo, 30 de abril de 2017

Com Temer rejeitado, 85% defendem eleição direta, aponta Datafolha

com-medo-de-nova-vaia-temer-nao-ira-participar-de-cerimonia-de-encerramento_828365
A impopularidade do governo Michel Temer (PMDB) cresceu e já é comparável à de sua antecessora, Dilma Rousseff (PT), às vésperas da abertura do processo de impeachment que acabou por cassá-la em 2016.
Segundo pesquisa do Datafolha, a gestão do peemedebista tem 61% de avaliação ruim ou péssima, com 28% a considerando regular e apenas 9%, ótimo ou bom.
Logo antes de a Câmara afastá-la, em abril do ano passado, Dilma tinha 63% de rejeição e 13% de aprovação. Era um número inferior ao recorde da própria petista, o maior aferido pelo instituto desde a redemocratização de 1985: 71% de ruim/péssimo e 8% de ótimo/bom, em agosto de 2015.
Os 9% de aprovação são também similares à taxa de Fernando Collor de Mello antes de ser impedido, em setembro de 1992, embora a reprovação fosse maior (68%). As informações são do jornal Folha de São Paulo.
Quando colocado como eventual candidato à reeleição, Temer vê a rejeição a seu nome subir de 45% para 64% de dezembro para cá.
O presidente já disse ter consciência de sua impopularidade e que aproveita isso para tentar fazer avançar uma agenda de reformas de difícil aprovação popular.

Fonte: Robson Pires

Um comentário:

  1. a folha presta um deserviço ao brasil com essas pesquizas.1º que se temer sair tem eleição indireta,2º, pesquisa sobre intenções de voto em que mostra lula em 1º lugar so manipula os analfabetos politico.

    ResponderExcluir