terça-feira, 21 de março de 2017

Polícia prende mais uma mulher por morte de adolescente de 15 anos no Nazaré Folia

 
Uma investigação da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) resultou na prisão de Joyce Gislaine Cosme, conhecida como “Joba ou Jojoba”, 21 anos e Tayse da Silva Felipe, conhecida como “Taís”, 25 anos. Joyce Gislaine Cosme confessou à Polícia que foi a pessoa que desferiu um golpe de punhal que matou Maria Raquel Silva de Almeida, 15 anos, durante o Nazaré Folia, no dia 18 de fevereiro deste ano no bairro Nossa Senhora de Nazaré, Zona Oeste de Natal. A morte de Raquel também foi causada por Tayse da Silva Felipe, conhecida como “Taís”, 25 anos. No dia do crime, ela impediu que a mãe de Raquel evitasse que a filha fosse morta, ameaçando-a com um punhal.
Joyce Gislaine foi presa na última sexta-feira (18), por um soldado da Polícia Militar de Pernambuco, quando estava na cidade de Tuparetama. O policial reconheceu a suspeita, após ter assistido matérias jornalísticas que apontavam Joyce como uma das autoras do crime e a levou até uma delegacia da Polícia Civil, na cidade de Buíque. Contra Joyce e Tayse já haviam sido expedidos os mandados de prisão temporária. Nesta segunda-feira (20), uma equipe da DHPP foi até Pernambuco para trazer a presa. Tayse da Silva Felipe foi presa nesta segunda-feira (20), na DHPP, no momento em que prestava esclarecimentos.
As investigações coordenadas pelo delegado Reginaldo Soares revelaram que a motivação do crime foi o ciúme de Joyce. “Joyce Gislaine era ficante de um rapaz conhecido como Joalison Nunes de França, 21 anos, preso em janeiro deste ano por ter praticado o crime de roubo. Dias antes de ser preso, Joalison Nunes começou a namorar sério com Maria Raquel, o que deixou Joyce enfurecida. Como Joyce e Tayse eram amigas, foram na festa do dia 18, armadas cada uma com um punhal. Nós acreditamos que elas esconderam as armas brancas na lateral do sutiã”, detalhou o delegado Reginaldo Soares. Tayse da Silva Felipe confessou à Polícia Civil que saiu de casa com o punhal escondido embaixo da roupa.
Joyce afirmou que tomou conhecimento de Raquel apenas em dezembro de 2016 e que desde então, havia uma rixa entre elas. Sobre o dia do crime, Joyce contou que estava na festa, com algumas amigas e que Raquel teria vindo em sua direção armada com um punhal. “Ela veio para cima de mim, ainda conseguiu me ferir, mas eu tomei o punhal e dei o golpe nela. Mas, eu não sabia que tinha matado ela. Saí da festa e fui me esconder no mato. Depois vendi meu celular e comecei a fugir para várias cidades, primeiro fui para Campina Grande e tinha chegado em Pernambuco na última quinta-feira (16)”, revelou Joyce Gislaine.
Durante o inquérito policial, foram ouvidos familiares da vítima, das suspeitas e testemunhas que estavam na festa no dia do crime para elucidar o crime. “Nós também analisamos várias imagens feitas por celulares de pessoas que estavam na festa. Nelas, é possível ver o momento exato em que Joyce Gislaine desfere os golpes em Raquel. Ela desferiu duas punhaladas bem abaixo do seio esquerdo da vítima, atingindo o coração da vítima. A mãe de Raquel, Maria Gorete da Silva ainda tentou evitar a morte da filha, mas foi ameaçada pela por Tayse da Silva que estava com um punhal”, detalhou o delegado Reginaldo Soares. Durante as investigações, Tayse da Silva confessou que estava com Joyce no dia da festa e que agiu com o punhal.

Fonte: Jair Sampaio

Nenhum comentário:

Postar um comentário