quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Governo reconhece que telefones do Itep estão cortados por falta de pagamento

Assim que postei a notícia bizarra de que ITEP está sem um telefone sequer funcionando por falta de pagamento, a assessoria de imprensa do órgão gentilmente me procurou e solicitou expor o lado do governo. Obviamente. Segundo a nota que me foi passada, o problema foi realmente causado pelo débito de três meses com a companhia telefônica. Ainda de acordo com a declaração oficial, o pagamento está sendo providenciado, assim como telefones reservas para minimizar a situação. Segue a nota abaixo.
O Instituto Técnico-Científico de Perícia (ITEP) realmente está com problemas na linha telefônica, que está com o pagamento atrasado há três meses. No entanto, a diretoria do órgão, juntamente com a Secretaria de Estado do Planejamento e das Finanças, está viabilizando a quitação dos débitos existentes, assim como, também estamos providenciando a disponibilização de linhas telefônicas de celulares funcionais, que serão disponibilizados para atender a demanda da população.
Nota do Blog: Olha, francamente. Antes de tudo deixa eu louvar o trabalho do colega jornalista que prontamente me procurou e gentilmente se colocou à disposição para me passar uma declaração oficial. O que escrevo aqui não é ao colega, óbvio. A ele todo o meu respeito e agradecimento. Assim como a todos os jornalistas que trabalham nas assessorias do poder público. Agora o Governo em uma nota dizer que deixou atrasar três meses da conta de telefone do ITEP representa algo tão absurdo, tão estapafúrdio, que chega a causar espanto. Então quer dizer que o estado cujo poder Judiciário se gaba de ter juntado dinheiro porque fez o dever de casa (O TJ não é Estado?) e conclama entrevistas para alardear a construção de novos fóruns valendo R$ 110 milhões, o estado onde fantasmas se divertem e se deliciam com o dinheiro da população há mais de dez, vinte anos, onde somente uma senhora teria levado meio milhão de reais da Assembleia Legislativa, o estado onde uma procuradora teria roubado R$ 5,5 milhões tendo políticos importantes como comparsas, este estado não teve dinheiro para pagar três contas de telefone do Instituto Técnico e Científico de Polícia? O órgão responsável por periciar locais de crimes e auxiliar a polícia, estudar os cadáveres proveniente de mortes violentas, aquele responsável pelo registro e expedição da carteira de identidade de todos os potiguares teve todos os telefones cortados e está funcionando como? A população não quer saber de crise. Crise é o escambau. É gestão, é pulso para cortar na carne e procurar o dinheiro onde há em demasia. O ITEP não pode ficar sem telefone. Que o governador tire do bolso, tire das polpudas contas, peça emprestado aos senadores e deputados que mantêm suas fortunas a nossas custas. A resposta mais sensata e digna que o Governo poderia ter dado a minha nota seria pagar amanhã mesmo esta conta e apresentar o comprovante, além de pedir desculpas ao povo e aos servidores do ITEP. E antes que algum desavisado encha o saco com o questionamento, já adianto: aqui não há um desabafo com cores partidárias. Não sou de um lado, nem do outro. Nem ganho dinheiro da situação, nem da oposição. E tenho asco do tipo de “bloguismo” que alguns têm praticado por aqui, se transformando em advogados de seus patrões políticos através de textos seletivos, disfarçados de jornalismo. Escrevo aqui saturado de ver coisas absurdas sendo banalizadas pela sociedade diante da total incompetência ou má fé da classe política. Seis pessoas mortas de uma vez só em João Camara não é normal. Fuga de 33 detentos em Alcaçuz não é normal. Corte de telefones do ITEP não é normal. Idosos deitados em papelão no corredor do Walfredo não é normal. Quinze ambulâncias paradas de uma vez com macas utilizadas no pronto-socorro não é normal. Portanto, se for para um governante vir a público para uma resposta mediana diante de uma tragédia, é melhor que não venha.

Fonte: Jackson Damasceno  

Nenhum comentário:

Postar um comentário